Ensino em Biociências e Saúde - IOC

Programa de pós-graduação stricto sensu em ensino em biociências e saúde

  • Diminuir tamanho do texto
  • Tamanho original do texto
  • Aumentar tamanho do texto
  • Ativar auto contraste
Início do conteúdo

03/08/2020

Uma centena de motivos para comemorar


Lucas Rocha

O Programa de Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) alcançou a marca de 100 doutores formados pelo programa. Com linhas de pesquisa variadas, o curso contempla estudos sobre ciências sociais e humanas aplicadas ao ensino em Biociências e Saúde, divulgação e jornalismo científico e perspectivas da interface entre Ciência e Arte. Até julho de 2020, o Programa titulou outros 167 mestres, sendo 153 do curso de mestrado acadêmico e 14 do mestrado profissional. Atualmente, o curso conta com 39 docentes e 132 discentes.

“Avaliar a produção acadêmica da trajetória de mais de 15 anos da Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde é uma tarefa absolutamente essencial. Os estudos não valem por si, mas sim pelo impacto que têm na sociedade. Impacto no qual o programa está completamente imerso. Esperamos que essa marca da centésima tese seja um ponto de inflexão para o seu maior crescimento”, destacou Tania Araújo-Jorge, pesquisadora do Laboratório de Inovações em Terapias, Ensino e Bioprodutos do IOC e coordenadora da Pós.

O estudo de número 100, desenvolvido pelo recém-doutor Gustavo Henrique Varela Saturnino Alves, teve como objetivo descrever e investigar as ações de um centro de ciências itinerante com o foco na exposição, público e mediadores. A pesquisa teve como recorte o espaço itinerante Ciências Sob Tendas (CST), criado em 2013 como produto do edital de popularização da ciência da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). O espaço, que faz parte do programa de extensão da Universidade Federal Fluminense (UFF), busca contribuir para a alfabetização científica, oferecendo sensibilização e compreensão pública da ciência e da tecnologia, por meio de atividades lúdicas, criativas e interativas.

Intitulado ‘Ciências Sob Tendas transformando a extensão em pesquisa: análise sobre a exposição, o mediador e o público’, o trabalho foi orientado pelos professores Robson Coutinho Silva, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Grazielle Rodrigues Pereira, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ).

Os resultados do estudo sugerem que o espaço itinerante tem contribuído para a interiorização do conhecimento científico, uma vez que leva conteúdos por diferentes realidades e populações do Estado do Rio de Janeiro. A iniciativa contribui ainda para oferecer bens e aparelhos científico-culturais a uma parcela da população que não tem o acesso de forma facilitada. A análise reforça a importância desse tipo de divulgação científica e seu papel estratégico no Brasil, considerando em especial, aspectos como as diferenças socioeconômicas entre as cidades, periferias e o interior do país.

Sobre o programa
Criada em 2004, a Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde é fruto da iniciativa de pesquisadores do IOC sensibilizados pela importância da qualificação de professores em diferentes níveis de ensino - fundamental, médio e superior, no que diz respeito ao campo de pesquisa básica e aplicada em Ensino em Biociências e Saúde. “O Programa surgiu como uma grande inovação no IOC e na Fiocruz, por ter sido o primeiro a abordar a questão do ensino e abrir a oportunidade para o desenvolvimento de pesquisas na área”, ressaltou Tania. A Pós também se diferenciou no contexto regional, por ser, em 2004, a primeira oferta de doutorado no Rio de Janeiro na Área de Ensino da CAPES, na época ainda denominada ‘Área de Ensino de Ciências e Matemática’.

O curso tem como objetivo qualificar profissionais para a elaboração de metodologias e estratégias de ensino-aprendizagem e realizar avaliações desse campo a partir de metodologias quantitativas e qualitativas. Entre os profissionais qualificados estão educadores, professores, profissionais de serviços de saúde, da área de Ciência e Tecnologia e do campo da comunicação social.

Edição: Vinicius Ferreira

Voltar ao topoVoltar